Conecte-se Conosco

Notícias

ESPETÁCULO: Projeto leva Chico Jararaca para as comunidades rurais de Caicó

Chico Jararaca Imagem Jeffeson Dutra

O Projeto CHICO JARARACA NAS COMUNIDADES RURAIS DE CAICÓ é a realização de uma ação, que desde a estreia do espetáculo CHICO JARARACA em novembro de 2018, era a intenção de chegar em todos os lugares possíveis, sobretudo nos interiores, nos sertões. 

A Trapiá Cia Teatral circulou com o espetáculo em cidades do Seridó Potiguar que habitualmente não são contempladas com espetáculos teatrais. O espetáculo já percorreu 14 cidades do Rio Grande do Norte, sendo que em dez delas apoiadas por projeto patrocinado pelo SEBRAE-RN (Edital de Economia Criativa). Além do RN o espetáculo já se apresentou em cidades da Paraíba. Em 2021 o espetáculo, bem como o ator que interpreta Chico Jararaca, Alexandre Muniz, venceram o Troféu Cultura RN.

Em Caicó o espetáculo já se apresentou no Centro Cultural Adjuto Dias, no Centro de Ensino Superior do Seridó, no Museu do Seridó e na Casa de Cultura Popular Sobrado do Padre Guerra, mas ainda faltavam as comunidades rurais. Em 2019 a Trapiá visitou dezenas de comunidades e foram selecionadas 11 delas que possuíam espaços minimamente adequados para o trabalho e para receber o público. Salas de residências particulares, alpendres, capelas, sedes de associações, serão os espaços em que o espetáculo será apresentado.

O projeto é patrocinado pelo Edital Descentrarte/FUNARTE 2019. O projeto era para ter sido realizado em 2020, mas com a pandemia o projeto foi adiado e agora em novembro será retomado de forma presencial, com todos os cuidados ainda necessários em relação às medidas não farmacológicas.  

As comunidades que receberão o espetáculo serão: 05/11 – Furna da Onça (Unidade Escolar Joaquim Canuto dos Santos), 06/11 – Oiticica/Papagaio (Residência de Tirri), 07/11 – Bela Flor (sede da Associação de Moradores), 12/11 – Açudinho (sede da Associação de Moradores), 13/11 – Barra da Espingarda (Capela de Nossa Senhora da Conceição e da Divina Misericórdia), 14/11 – Várzea Alegre (residência de Matias e Luzia dos Bodoque) , 19/11 – Manhoso (Capela de Nossa Senhora da Conceição), 20/11 – Umari (Capela de São Francisco), 21/11 – Maravilha (Residência de Verônica e Edmilson de Odilon Cajú),  26/11 – Bom Jesus (alpendre da residência de Jader Aladim de Araújo) e 27/11 – Inês Velha (sede da Associação de Moradores). As apresentações serão às 19h e a entrada é gratuita.

Mais informações sobre o projeto, o espetáculo e demais ações dos coletivos Trapiá Cia Teatral, Trapiá Filmes e Jurema Coletivo de Dança visitar o site www.trapia.org

Sinopse:

Chico Jararaca (Francisco Nicácio Sobrinho) nasceu no Seridó Potiguar e foi um cangaceiro do bando de Antônio Silvino (anterior ao de Lampião) que perambulou pela caatinga nordestina no início do século passado. Suas histórias povoam o imaginário do povo sertanejo e dão conta da enorme complexidade que foi o cangaço. Sua vida, durante e depois ao cangaço, foi marcada por aperreios, crenças, fantasias, saudades, perdas, boas correrias e uma preocupação diária com o uso consciente da água. O público terá a oportunidade de vivenciar o universo deste cangaceiro que sempre afirmou que nunca matou ninguém.

FICHA TÉCNICA:

 – Texto: Francisco Félix (inspirado em “Nunca matei ninguém!” de Carlos Lyra e “O fogo da pedreira: a saga do ataque da polícia ao bando de Antônio Silvino em Caicó” de Orlando Rodrigues
– Direção: Lourival Andrade
– Elenco: Alexandre Muniz e Emanuel Bonequeiro
– Cenário, figurino e iluminação: Custódio Jacinto
– Trilha Sonora: Coletivo Trapiá
– Execução de Trilha Sonora: Emanuel Bonequeiro
– Maquiagem: Bruno César
– Instrutor de rabeca: Luciano Silvério
– Preparador vocal: Jonas Linhares
– Autor do cordel/programa: Djalma Mota
– Diagramação cordel/programa: Agostinho Francisco dos Santos
– Arte da capa/xilogravura: Custódio Jacinto
– Fotografias: Jefferson Dutra e João Paulo Medeiros
– Produtora: Tatiane Fernandes/Mapa Realizações Culturais

Os Mais Acessados